tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Notícias
Mulheres de diferentes idades falam sobre o “ser Mãe”
Data publicação 14/05/2018
Maria está focada na educação e no desenvolvimento de sua filha Luna
Aos 30 anos, Alessandra foi mãe de Gabriel, e depois de um ano teve Gabriela
Penha com os filhos, Arthur, Matheus e Thiago, que nasceu quando ela já tinha 44 anos
Psicóloga alerta que a mulher deve se sentir preparada para a maternidade
A maternidade traz várias mudanças para a vida da mulher e requer adaptações fisiológicas, psíquicas e nas relações. Todo este processo pode ser diferente em mulheres de 20, 30 e 40 anos, não só pelo ponto de vista físico, mas também pelo emocional e social. Mas, afinal, existe um momento certo para ser mãe? 
 
A psicóloga e coach especialista em Saúde Mental, Liliane Soares, explica que do ponto de vista biológico, alguns especialistas defendem o período dos 20 aos 35 anos para uma gestação tranquila e saudável. Porém, do ponto de vista psicológico, não há uma idade certa para se tornar mãe, sendo a maturidade emocional o mais importante nessa hora. “O momento considerado ideal é quando a mulher atinge uma maturidade suficiente para lidar com as mudanças decorrentes da gravidez, como a sua rotina de vida e suas prioridades”.
 
Cada fase da vida da mulher possui características que influenciam na maternidade, conforme pontua a psicóloga. “Aos 20 anos, ao mesmo tempo em que a mulher tem maior facilidade para engravidar e mais energia e disposição para cuidar do bebê, ainda possui pouca experiência de vida. Aos 30 anos, a maternidade pode ser mais equilibrada devido à experiência de vida ser mais estável. Já aos 40, há uma maior motivação para a maternidade e um melhor conceito sobre o papel materno”.
 
Facilidades e dificuldades dos 20 anos
Ser mãe aos 23 anos foi uma mudança drástica na vida da garçonete Maria de Novaes. “É muito diferente da vida que eu tinha antes. Passei a acordar cedo para cuidar da rotina dela e a me preocupar com sua educação e seu desenvolvimento”.
 
Mesmo assim, a mãe de Luna, de apenas três anos, considera a maternidade aos 20 uma vantagem. “Por mais que, no início, seja bem complicado, principalmente para quem não tem uma estrutura financeira estável, é uma motivação muito grande. Hoje eu tenho alguém que precisa de mim inteira, forte. Eu não posso mais parar e, sendo jovem, tenho muita disposição para brincar e para ensinar”. 
Como Liliane Soares explica, do ponto de vista emocional e psicológico, a maternidade nesta fase geralmente está associada ao início da vida profissional e da independência financeira. “A maternidade pode limitar ou retardar esse processo de escolhas acadêmicas e de trabalho, trazendo sentimentos de insegurança, medo, frustração, baixa autoestima e incapacidade de conduzir o desenvolvimento do filho”.
 
Experiência e equilíbrio aos 30
Segundo a psicóloga, na fase dos 30 anos a mulher se sente emocionalmente preparada para ser mãe e ainda tem energia para cuidar do bebê. “A mulher já se encontra mais amadurecida, com relacionamentos mais estáveis, com o instinto materno mais aflorado, metas financeiras e profissionais mais estabelecidas. Nesta fase também há uma diminuição de angústias e receios sobre o desenvolvimento dos filhos”.
 
Toda a energia e experiência dos 30 anos foram imprescindíveis para a professora Alessandra Gonçalves, de 42 anos, que teve seus dois filhos, Gustavo, 11, e Gabriela, 10, aos 30 e aos 31 anos, respectivamente. “Minha vida era bastante agitada com a rotina de trabalho. Morava na Itália e chegava a trabalhar até 20 horas por dia. Quando descobri que estava grávida, já com cinco meses, foi, ao mesmo tempo, um susto e uma alegria imensurável. Mudou minha rotina, meus dias e minha vida, pra melhor. Ainda que tenha sido pega de surpresa com a gravidez, já me sentia preparada, amadurecida e pronta para ser mãe”.
 
Mais estabilidade aos 40
Apesar da maternidade aos 40 anos apresentar riscos gestacionais e a mulher não ter mais a mesma disposição física, é também nesta fase que a mulher desenvolve melhor sua relação materno-fetal, conforme explica Liliane. “Nesta idade, as mulheres se encontram mais tranquilas e estabilizadas emocionalmente, provavelmente mais pacientes, seguras e mais assertivas para tomarem decisões com relação aos filhos”. 
 
Penha Resende, professora, 56 anos, tem três filhos. O primeiro, Arthur, 26, veio quando ela tinha 30 anos; o segundo, Matheus, 22, veio aos 34; e dez anos depois, quando estava com 44 anos, nasceu Thiago, agora com 11 anos. Penha conta que sempre quis mais um filho e que, mesmo não tendo mais 30 e poucos anos, sentiu-se mais madura. “Apesar de ter tido uma gravidez de risco, devido à minha idade, correu tudo bem e ele nasceu saudável. Ele veio num momento em que eu já tinha mais maturidade e me trouxe mais realização como mãe. Ele é a alegria da casa”.
 
Para Penha, não existe idade certa para a maternidade. “A melhor idade para ser mãe é quando nos sentimos preparadas. Mesmo assim, acho que antes dos 25 anos ainda não estamos completamente preparadas. É muita responsabilidade; é para o resto da vida, e os problemas não passam”.
 
A psicóloga alerta que é importante que as mulheres respeitem o seu momento e o seu desejo de ser mãe, sem perder de vista o relógio biológico. “Quando sentir que esse é o momento ideal para se dedicar a essa fase tão importante para a vida de uma mulher, a decisão vai ser tomada. É preciso preparar o corpo, ter uma vida saudável. A mulher pode adiar a maternidade, mas o corpo e a mente precisam estar saudáveis para gerar essa nova vida”.
 

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2018 - Todos os direitos reservados.