tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Notícias
Caratinga carece de área para grandes eventos
Data publicação 27/11/2017
O cancelamento do show da dupla Henrique & Juliano, que deveria ter acontecido no feriado do dia 15, no estacionamento de um posto da cidade, mostrou mais uma vez a necessidade de Caratinga poder contar com um local apropriado para a realização de festas, shows e grandes eventos, como tem sido defendido pelo jornal A Semana há vários anos. Infelizmente, a inércia da administração municipal, nesta e nas gestões anteriores, quanto a ações neste sentido, tem reduzido as opções de lazer à população e tirado do comércio local os dividendos provenientes da realização desses eventos.
 
Parque de Exposições
Há várias décadas, Caratinga possuía uma excelente área para grandes eventos, o Parque de Exposições “João da Costa Mafra”. No entanto, como tem se tornado normal de acontecer no município, o local foi abandonado, se deteriorando pelo desuso e, hoje, não passa de um monte de escombros e ruínas.
 
Em 2012, o deputado Mauro Lopes conseguiu, a inclusão de uma emenda parlamentar no Orçamento Geral da União, voltada às obras de modernização do Parque de Exposições, da ordem de R$ 1.657.500,00. O projeto previa a conclusão das obras em 15 de maio de 2015, porém, apenas parte do muro frontal chegou a ser construído, sendo liberados R$ 135 mil do recurso.
 
Porém, a obra foi paralisada e, hoje, seria preciso a construção de todas as estruturas, pois a já existente se encontra totalmente destruída. Além disso, o valor restante da emenda é insuficiente e seria necessária a liberação de mais recursos.
 
Em março de 2016, foi anunciada pelo governo passado, através do então secretário de Agronegócios, Denis Gutemberg Augusto de Faria, hoje vereador, a retomada das obras em abril daquele ano. Mas tudo ficou somente na promessa.
 
Eventos
A inexistência de uma área preparada para receber grandes eventos foi o principal motivador para que Carlos Carraro desistisse de continuar realizando o “Maió e Mió São João de Minas”, pois, a cada edição do evento, ele se via obrigado a pagar muito caro para o aluguel de áreas particulares e com todas as despesas de preparação do local do evento, como cercamento, bilheterias, palco, camarotes, camarins, banheiros químicos, estandes da praça de alimentação e, até mesmo, com a pavimentação da área, como ele declara. “Se Caratinga contasse com uma área preparada para eventos grandes como o ‘Maió e Mió’, com certeza, até hoje nós estaríamos promovendo o evento, que gerava muitos empregos e trazia muitos lucros para o comércio local”.
 
A obrigação de precisar arcar com todas essas despesas tem levado muitos promotores a desistirem de realizar shows em Caratinga, preferindo levá-los para outras cidades da região, todas de menor porte.
 
Carraro sempre defendeu a necessidade da Prefeitura de Caratinga investir na revitalização do Parque de Exposições, transformado atualmente em ruínas, ou na construção de uma nova área para eventos.
 
Segundo ele, este local, com capacidade para até 20 mil pessoas, precisaria contar com um grande palco fixo, que facilmente seria adaptado para a necessidade do evento, indo desde shows com grandes artistas a eventos de menor porte; banheiros em grande número, que seriam usados de acordo com o volume de público; muros com grandes portões, que se abririam de forma a atender à demanda; praça de alimentação fixa, com área em volta para permitir sua ampliação; além de amplo estacionamento. “Esse espaço seria usado para a realização da Festa da Cidade, Feira de Negócios Agropecuários, Exposição Agropecuária, Encontro de Motociclistas, Os Semeadores, Boteco É Coisa Nossa, Festa do Produtor Rural, Exposição de Carros e Motos Antigas, além de shows musicais e diversos outros eventos”.
 
Turismo
Ainda durante o período em que Carraro promoveu o “Maió e Mió”, o jornal A Semana levantava a bandeira da necessidade da Prefeitura de Caratinga investir na exploração do Turismo, como importante ferramenta para o desenvolvimento econômico regional, diante do potencial existente no município, como a RPPN Feliciano Miguel Abdala, as lagoas e cachoeiras, o acervo religioso e o fato da cidade ser berço natal de Ziraldo Alves Pinto, o escritor infantil que mais livros vende no Mundo.
 
Há anos Carraro tem insistido com os prefeitos de Caratinga quanto à possibilidade de criação do “Mundo Mágico do Menino Maluquinho”, parque temático abordando a vida e a extensa obra de Ziraldo, proposta criada ainda no governo do exprefeito Ernani Campos Porto.
 
De lá para cá, como lembra Carraro, sua ideia foi usada durante as campanhas eleitorais pelos candidatos a prefeito. Porém, vencidas as eleições, o “compromisso” caiu no esquecimento. No início do governo passado, o ex-prefeito Marco Antônio Junqueira, acompanhado pelo então secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Pedro Leitão, chegaram a se reunir com Ziraldo. Porém, nada foi feito para se tentar implantar o projeto.
 
No atual governo, também no princípio deste ano, Carlos Carraro levou o atual prefeito à Casa de Ziraldo, no Rio de Janeiro, com quem almoçaram, para discutir a criação do “Mundo Mágico”. Apesar de regressar para Caratinga bastante eufórico, até o momento, Dr. Welington não apresentou iniciativas para o andamento do projeto.

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2017 - Todos os direitos reservados.