tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Notícias
Clássico: Atlético bate Cruzeiro de virada no Mineirão
Data publicação 24/10/2017

O Cruzeiro era o favorito, pela campanha, pelo melhor futebol, pelo grande momento. Porém, havia um Robinho no meio do caminho, e foi o atacante, tão contestado nesta temporada, quem deu a grande vitória ao alvinegro. Thiago Neves fez 1 a 0, no primeiro tempo. Otero empatou na fase final, e Robinho surgiu como o grande nome para fazer dois golaços, pedir para ouvir o grito da Massa, e sair de campo ovacionado. Robinho disse que o “Atlético voltou melhor no segundo tempo, com vontade de ganhar, e ganhou”. Então podemos concluir que no primeiro tempo não havia vontade de ganhar? Claro que não. É porque no primeiro tempo o Atlético esteve apático, apenas marcando. Na fase final, entrou para buscar gols, e acabou achando três, detonando o rival e faturando três importantes pontos.

O que se espera daqui pra frente é que o Galo vença em casa, pontue e chegue à Copa Libertadores. Só isso salvaria o ano  alvinegro. Para o Cruzeiro, foi ruim perder o clássico, mas nada que abale o campeão da Copa do Brasil, que não tem mais chances de título e briga apenas para terminar entre os sete primeiros, sem necessidade, pois já está na Libertadores pela conquista da Copa do Brasil.

Foi um primeiro tempo morno, em que o Cruzeiro quis o gol, mas com pouca intensidade, e o Galo não deu sequer um chute ao gol de Fábio. É o que temos visto nos clássicos. Pobreza de ambos os lados, jogo de dar sono, sem qualidade no meio, sem atacantes ambiciosos. É uma pena que a gente espere tanto pelos grandes jogos e as equipes produzam só isso.

Bem colocado no Brasileiro e campeão da Copa do Brasil, o Cruzeiro jogou mais relaxado. O Galo, tentando espantar a má fase, com atuação pífia. Não há um homem capaz de criar uma jogada no meio. Sai Cazares num jogo, entra Otero no outro, e o ritmo é o mesmo, péssimo. Na frente, os atacantes são inoperantes. Pelo menos foram no primeiro tempo.

As grandes emoções ficaram reservadas para o segundo tempo. Se o Cruzeiro era favorito, o Atlético tinha Robinho. E foi ele quem fez a diferença. Antes, porém, o baixinho Otero empatou, de cabeça, em cima de Diogo Barbosa. Não era questão de altura e sim de posicionamento. Cazares entrou muito bem no segundo tempo. Perdeu um gol incrível, mas depois ajudou o Galo a vencer. Em seguida, Fábio fez uma defesa e saiu mal com a bola. Fábio Santos se antecipou, tocou para Robinho, que, marcado por três, entrou na área e chutou cruzado: 2 a 1. Robinho ainda tinha mais coisas reservadas. Ele recebeu na esquerda, do mesmo jeito. Limpou para dentro e chutou cruzado, no alto, fazendo 3 a 1.

Se o Atlético quiser analisar uma possível renovação de Robinho, e avaliar só pelo clássico, não há dúvida de que ele fica. Porém, o futebol não é só o clássico e sim um conjunto de jogos que determina o campeão. E, nesse conjunto, o Atlético foi muito mal nesta temporada. Com a vitória de ontem, chegou aos 41 pontos, praticamente livre de qualquer possibilidade de rebaixamento e sonhando com a vaga na Libertadores. Se o Atlético fosse tão eficiente em casa como é fora, não tenho dúvida de que estaria em outra situação. Faz um péssimo jogo como aquele contra a Chapecoense, e um grande jogo, como o de ontem. Como favorito não ganha clássico, deu Galo na cabeça.

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2017 - Todos os direitos reservados.