tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Notícias
Caratinga é abandonado por deputados votados aqui
Data publicação 13/03/2017
Emendas de Mauro Lopes e ações de Adalclever estão aquèm da excelente votação alcançada; Mizael Varella não destinou qualquer emenda para Caratinga, apesar de receber mais de 8.500 votos  e Leonardo Monteiro, como sempre, fica nas promessas
2018 será um ano eleitoral, quando, além de Presidente da República, estaremos votando em candidatos ao Governo do Estado, ao Senado, à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa. Em breve, Caratinga começará a receber as visitas dos chamados “paraquedistas”, candidatos de outras regiões, sem vínculo ou qualquer compromisso com a cidade em busca de votos e cheios das mais mirabolantes promessas, enganando eleitores mal informados e menos esclarecidos.
 
Cheia de problemas e carências, inclusive de infraestrutura, no decorrer dos anos, Caratinga tem se constituído em um fértil “mercado de votos”, como provam os resultados das eleições de 2014, quando todos os 53 deputados federais eleitos em Minas Gerais receberam pelo menos um voto no município e dos 77 deputados estaduais eleitos, apenas nove não foram votados na cidade, numa verdadeira “pulverização de votos”.
 
Deputados Federais
E esta pulverização de votos tem se mostrado infrutífera ou, melhor, prejudicial para o município que, ano a ano, tem assistido seus problemas e deficiências se avolumarem, sem poder contar com a necessária cooperação dos parlamentares que foram eleitos com votos de eleitores caratinguenses.
 
A retribuição dos deputados aos votos recebidos em Caratinga é quase nula e, quando vem, não atende às necessidades reais do município, limitando-se a reduzidos recursos financeiros e doação de ambulâncias ou outros veículos, tradicional “moeda” utilizada historicamente pelos coronéis da política brasileira.
 
De todos os deputados federais eleitos, 21 obtiveram mais de 200 votos em Caratinga. São eles: Mauro Lopes (12.657 votos), Misael Varella (8.598), Leonardo Monteiro (2.042), Marcus Pestana (970), Renzo Braz (791), Paulo Abi-Ackel 9711), Leonardo Quintão (709), Sub-Tenente Gonzaga (556), Luis Tibé (528), Brunny Gomes (492), Mário Heringer (415), George Hilton (308), Pastor Franklin Lima (283), Eros Biondini (281), Eduardo Barbosa (269), Padre João (268), Ronaldo Braga (236), Lincoln Portela (229) E Reginaldo Lopes (201).
 
Destes 21 deputados, são raros os que retornaram à cidade após tomarem posse no cargo e mais raros, ainda, aqueles que destinaram recursos para Caratinga, através de emendas ao Orçamento Geral da União. Vale ressaltar que, as poucas emendas não passam de paliativas.
 
Para piorar a situação, consulta feita pelo jornalista Alex Capella, colunista de A Semana, junto ao sistema de liberação de recursos do Ministério do Planejamento confirma que dificilmente Caratinga receberá durante este ano recursos relevantes do Governo Federal, provenientes de emendas parlamentares.
 
Isso porque, além da redução na previsão dos gastos públicos estabelecidas pela equipe econômica do Governo Temer, os deputados federais votados no município praticamente não apresentaram à Lei Orçamentária Anual (LOA) projetos que poderiam beneficiar a cidade ou não se apresentam dispostos a brigar pela liberação das emendas.
 
Mauro Lopes
Até mesmo o deputado Mauro Lopes, o mais votado na cidade, com mais de 12 mil votos, tem enfrentado dificuldades em conseguir a liberação dos recursos provenientes das emendas destinadas a Caratinga. Os recursos para a revitalização do Parque de Exposições, ainda no mandato passado, estão emperrados em Brasília e os prometidos mais de R$ 600 mil para a construção de uma estátua do Cristo, na pedra Itaúna, ao que tudo indica, não virão tão cedo.
 
No ano passado, Mauro Lopes apresentou uma emenda parlamentar, no valor de R$ 678.851,55, destinada à construção da estátua, porém, o sistema de liberação de recursos do Ministério do Planejamento indica que a emenda apresenta uma “cláusula suspensa”, ou seja, necessita de ajustes, sem os quais o recurso não será liberado.
 
Leonardo Quintão
O deputado Leonardo Quintão apresentou uma emenda junto ao Ministério das Cidades, no valor de R$ 493.100,00, destinada à pavimentação de ruas do distrito de São Cândido, no entanto, a União não deve liberar a ordem de pagamento para que as obras sejam iniciadas neste ano.  
 
Mizael e Leonardo Monteiro
Apesar dos 8.598 votos obtidos em Caratinga, o deputado Mizael Varella, que durante a campanha de Dr. Welington prometeu recursos e ajuda para o setor de Saúde, não aparece com emendas parlamentares destinadas ao município. Ele deposita sua confiança de voltar a Caratinga para buscar votos ao hospital da Fundação Cristiano Varella, de Muriaé, sustentado com dinheiro público, proveniente do SUS.
 
Já Leonardo Monteiro, o terceiro mais votado em Caratinga, com 2.042 votos, que em outras eleições fez de seu palanque a promessa da vinda de extensões de universidades públicas para a cidade, não se dignou a apresentar sequer uma emenda em favor do município.
 
Deputados Estaduais
Dos deputados estaduais votados em Caratinga, 18 receberam mais de 200 votos. São eles: Adalclever Lopes (10.382 votos), Dr. Wilson Batista (2.202), Gustavo Valadares (1.486), André Quintão (1.218), Durval Ângelo (984), Pastor Vanderlei Miranda (756), Rosângela Reis (738), Fred Costa (704), Neilando Pimenta (606), Missionário Márcio Santiago (425), Celinho do Sinttrocel (395), Cabo Júlio (379), Sargento Rodrigues (369), Bráulio Braz (313), Carlos Henrique (297) e Léo Portela (268).
 
Deles, quem ainda demonstra certo interesse em Caratinga é Adalclever Lopes, presidente da Assembleia Legislativa, que pelo cargo poderia fazer muito mais do que tem realizado. Até hoje, com mais da metade do atual mandato, ele só esteve em Caratinga em três ocasiões, muito pouco para quem recebeu mais de 10 mil votos, 17,84% do total de votos obtidos por ele nas eleições passadas.
 

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2017 - Todos os direitos reservados.