tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Colunista - Edilson
Feliz Natal!!!
Data publicação 19/12/2016
No Brasil, o Natal não poderia, jamais, ser comemorado no dia 25 de dezembro!... O dia certo seria 1º de Abril, afinal, a data é envolta em um festival de mentiras e engodos!
 
Em primeiro lugar, para quem não sabe ou se esqueceu, o Natal é a comemoração do nascimento de Jesus, o Cristo, e o que menos se faz, nesta data, é menção a este fundamental momento para o cristianismo, assim como à mensagem que emana do relato bíblico, marcado pela prova de humildade de quem, mesmo sendo Deus, nasceu em um estábulo, tendo como berço o comedouro dos animais. 
 
Muito mais cartaz faz o Papai Noel, figura inexistente no episódio, galgado ao posto de personagem principal, reverenciado como a personificação do bem, o “baluarte da justiça”, premiando aos bons meninos e repreendendo aos maus.
 
Talvez, o fato da maioria dos pais brasileiros ter sempre ensinado aos seus filhos que a melhor pessoa do mundo é um velho barbudo, que está sempre vestido de vermelho, seja o motivo para os eleitores do Brasil terem votado em Lula.
 
Nas decorações dos shoppings, lojas, casas e cidades, mentiras e personagens inexistentes, como duendes, trenós puxados por renas voadoras e o próprio Noel, povoam os cenários. Aliás, não é raro encontrar em igrejas evangélicas o Papai Noel distribuindo doces, balas e lembrancinhas às crianças.
 
Nas propagandas de Natal das TVs brasileiras são estampadas mentiras e, pior, ofensas a um povo que tenta sobreviver à crise financeira. Afinal, elas mostram pessoas saindo das belíssimas lojas de shoppings ricamente decorados carregadas de sacolas e pacotes de presentes, quando a maioria da população, caso venha a presentear alguém, irá procurar as lojas de produtos populares ou garimpar alguma lembrancinha nas barracas dos camelôs. Inclusive em São Paulo, como sempre acontece nos abarrotados “chiques magazines” da 25 de Março.
 
Sem falar nas propagandas relacionadas a comidas e bebidas, mostrando mesas fartas, repletas de porcelanas e de talheres de prata, tendo pessoas sorridentes ao redor, brindando a data com caríssimos vinhos e champanhes em lindíssimas taças de cristais, quando, na verdade, em milhões de lares brasileiros se, porventura, existir condições para o ajuntamento da família, a sidra Cereser, a cachaça e a cerveja serão servidas em finos “cristais” Nadir Figueiredo ou em copos de requeijão reaproveitados.
 
Mas, se faltarão as taças de cristal, com certeza, haverá fartura!... Será um tal de “farta peru”, “farta cabrito”, “farta carneiro”, “farta leitoa”, “farta pernil”, “farta bacalhau”... Enfim, uma “fartura total”!
Porém, no final, tanto para uns como para outros, seja para quem se deleitará com a fartura, como para quem reclamará da “fartura”, sobrará a ressaca e praticamente nenhuma lembrança ou menção ao verdadeiro motivo da festa.
 
Agora, só resta lhe sugerir para que, neste Natal, esteja você diante de uma mesa farta ou não, trocando e recebendo bons presentes ou não, “perca” um tempinho de sua festa para um momento de reflexão sobre as mensagens de Cristo e renda a ele um breve momento de agradecimento e louvor.
 
Feliz Natal!
 


Mudar de colunista:

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2018 - Todos os direitos reservados.