tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Colunista - Edilson
Honestamente
Data publicação 25/01/2016
Causou alvoroço, revolta e muitas gargalhadas a declaração feita pelo ex-presidente Lula, na quarta-feira, 20, durante um café da manhã com simpatizantes, quando afirmou: “Se tem uma coisa de que me orgulho é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu!”.
 
Tal declaração, que circulou o Planeta, me faz acreditar que o papa Francisco já tenha agendado uma urgente visita ao Brasil, exclusivamente para concluir a canonização de “São Lula”, o Puro, que certamente será o “padroeiro dos políticos honestos”.
 
Fico analisando duas situações para justificar o fato de Lula ter a coragem, ou melhor, a cara-de-pau de dizer tamanha asneira!... Será que o cara já estava tão bêbado assim logo de manhã?... Ou alguém do PSDB trocou a cachaça dele por querosene?...
 
Na verdade, ao dizer esta frase, Lula já mostrou que não é honesto como tenta fazer acreditar. Ele plagiou outra “reserva moral” da política brasileira, Paulo Maluf, que já havia dito tal “verdade”. Fica muito engraçado!... Nem na hora de mentir Lula deixa de tomar o que é dos outros!  
 
Agora, falando sério, Lula não sabe o que está falando!... Aliás, geralmente ele não sabe o que diz!... Ele mesmo declara isso, dizendo não saber de nada e não ter ouvido nada.
 
Honesto, como explica o dicionário, é a pessoa que procede de acordo com as normas (legais, morais etc.) aceitas na sociedade e que possui ou demonstra honradez e nobreza de caráter. Não percebi tais características nele!
 
E não existem parâmetros para se medir o “nível de honestidade” de uma para outra pessoa, até pelo fato de não existir quem é “mais honesto” ou “menos honesto”, “muito honesto” ou “pouco honesto”.
Quem não é honesto, simplesmente, é “desonesto”, expressão que, como provam os dicionários, é o antônimo de “honesto”!... Bem, é preciso saber se ele sabe o que significa a palavra “antônimo”. É bem provável que ele acredite ser quem trabalha por conta própria.
 
Mas, o importante, em tudo isso, é compreender que a pessoa, ao deixar de agir de acordo com as normas, sejam elas legais ou morais, conforme estabelecidas pela sociedade organizada, ou quando não demonstra ter honradez e nobreza de caráter, ela é desonesta.
 
Assim sendo, não existem partições, divisões ou níveis pelos quais devam ser distribuídas as pessoas honestas. Não tem como dizer “fulano é mais honesto do que beltrano”. Da mesma forma, é impossível considerar “José como menos honesto que João”. 
 
Não existem postos hierárquicos de honestidade!... Não existe o “semi-honesto”, o “quase honesto” ou o “aspirante a honesto”!... Quem não age com honestidade, independente das vezes ou intensidade com que isso costuma ocorrer, é uma pessoa “desonesta”. E isso precisa ficar bem claro para todos!
 
Não se tem como aferir o grau de honestidade ou de desonestidade de alguém. Por isso, não vou dizer que Lula é muito ou pouco desonesto!... Mas, se ele se orgulha de não existir alma tão honesta como a dele, acho que posso dizer que tenho muito orgulho da minha humildade! 


Mudar de colunista:

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2018 - Todos os direitos reservados.