tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Colunista - Edilson
Pedreiros
Data publicação 24/08/2015
Neste momento em que acompanhamos o desenrolar das várias etapas da Operação Lava Jato, que investiga e revela o maior esquema de desvio de recursos públicos já implantado no Brasil, cujos tentáculos, como tudo indica, além de empresas estatais, alcança todos os setores do Governo Federal e praticamente todos os partidos políticos.
 
Enquanto alguns oportunistas, de passado não tão limpo, tentam se aproveitar do caos institucional estabelecido no Brasil para conseguir lograr êxito em seus projetos de poder, louvo a ação positiva adotada pela comunidade maçônica brasileira que está nas ruas, não por interesses próprios, mas em defesa da Pátria, ultrajada e humilhada como nem mesmo a mais devassa das prostitutas.
 
Em um gesto para o qual os elogios se mostram pequenos, as três potências maçônicas instituídas no Brasil se unem e propõem ao povo brasileiro a oportunidade de, juntos, participarmos da construção de um instrumento eficiente e suficiente para se extirpar da vida pública deste país a mais terrível das doenças que conspira contra o futuro da Nação: a corrupção!
 
Entendo justa a caça aos ladrões que tornaram os cofres públicos extensão dos próprios bolsos, contribuindo ativamente para a morte de milhares de pessoas, as quais tiveram a vida se esvair durante interminável espera de um remédio ou tratamento de saúde que lhes foram negados. Porém, isso não basta!
 
A solução para o problema da corrupção no Brasil não está na cassação de Dilma, Renan, Collor, Aécio ou seja lá quem for. Presos todos os participantes dos desvios públicos ocorridos no Brasil, se não forem adotadas medidas eficazes para impedir a prática da rapina ao erário, outros corruptos se levantarão e perpetuarão esta prática nociva que apequena a Nação e rouba às gerações futuras a esperança de um país melhor.
 
Assim, vejo a proposta da apresentação do projeto “Corrupção Nunca Mais”, lançada pelos maçons, como uma resposta plena aos anseios de todos que sonham e desejam viver em um país que de fato seja gigante pela própria natureza, mas não continue deitado eternamente.
 
Ao invés de ir às ruas para tentar combater uma corrupção que se agigantou, é preciso combatê-la na sua origem, não lhe permitindo condições para ser gerada e muito menos alimentada. Para isso, se fazem necessárias regras rígidas e punições severas, suficientes a desestimular o canalha em suas escusas e nefastas intenções, além de puni-lo em medida semelhante ao dano causado.
 
E, ao se combater a corrupção, não se deve punir somente seus praticantes de maior destaque. A mesma lei que pune ao presidente, ao governador, ao senador, ao deputado, deve punir ao simples funcionário que aceita participar, independente de seu nível de atuação, de esquema para desvio de dinheiro do povo. Afinal, todos se associaram para perpetrar o dano causado, portanto, todos merecem ser submetidos aos rigores da lei.
 
Aos maçons, meus humildes elogios pela brilhante iniciativa!... A você, o convite a se unir a este projeto, não permitindo que a sua omissão impeça que o Brasil possa ser, finalmente e devidamente, passado a limpo.


Mudar de colunista:

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2018 - Todos os direitos reservados.