tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Colunista - Edilson
Fake News
Data publicação 18/06/2018
Então, quer dizer que, se mais de 50% das pessoas que comparecerem às urnas nas eleições deste ano anularem seus votos a eleição será anulada e será marcada uma nova eleição?... E, além disso, todos os candidatos não poderão participar da nova eleição?... Pare de acreditar em mentira, otário!
 
Historicamente, o povo brasileiro é afeito a acreditar em boatos e em mentiras como essa, que tem circulado pelas redes sociais. Isso ocorre porque as pessoas, em sua maioria, não pesquisam para saber se existe verossimilidade naquilo que ouvem ou leem.
 
Devido a esse injustificável espírito de credulidade, até hoje os vigaristas continuam aplicando antigos golpes, como o do “bilhete premiado”, ou os mais recentes, como o do “sequestro de parente”, aplicado pelo celular. A “inocência” do povo é tanta que, em pleno século XXI, ainda tem quem acredite em fantasma, lobisomem, mula sem cabeça, chupa-cabra e zumbi.
 
Para piorar, se não bastasse apenas a “anta” acreditar nas inúmeras  mentiras que circulam por aí, ela ainda faz questão de passar as falsas notícias para pessoas tão ou mais otárias do que ela, através da internet, via redes sociais. Esse povinho nosso adora uma “corrente”!
 
Embora seja trágico, chega a ser cômico assistir uma pessoa ignorante tentando ensinar aos outros sobre um assunto do qual ela não detém o menor conhecimento.
 
No caso dos votos nulos, de um lado temos o ignorante, que passa adiante sem nada saber do assunto. Mas, do outro está quem tenta se valer da ignorância da esmagadora maioria da população sobre a legislação eleitoral para praticar o terrorismo midiático, apenas para prejudicar o processo.
 
Esse nocivo hábito de disseminar mentiras através da internet assumiu tamanha proporção que as autoridades começam a agir, com o intuito de estabelecer punições para os autores dessas notícias falsas (Fake News, em inglês).
 
A verdade é a seguinte!... A falsa notícia não tem qualquer amparo legal. Para os resultados de uma eleição, os votos nulos e os votos em branco são descartados, sendo contabilizados apenas os votos válidos, sejam para os candidatos ou para as legendas.
 
Na realidade, a falsa notícia sobre a anulação da eleição caso mais de 50% dos votos sejam anulados pelos eleitores não passa de uma interpretação totalmente equivocada do Artigo 224 do Código Eleitoral brasileiro, cujo inteiro teor é o seguinte: “Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 a 40 dias”.
 
]A “nulidade” prevista no artigo não diz respeito a “votos nulos”. Ela diz respeito a uma decisão da Justiça Eleitoral em considerar nulos os votos dados a determinado candidato por fraude nas eleições, cassação do registro de candidatura ou cassação do candidato devido a ele ter cometido algum crime eleitoral.
 
Neste caso, quando os votos desse candidato ultrapassam a metade do número de votos, a eleição é anulada e a Justiça Eleitoral convoca uma nova eleição, da qual todos os demais candidatos poderão participar.
 
Por isso, meu amigo, não acredite nesta e em outras balelas. Nunca passe adiante informações sobre as quais você não detém pleno conhecimento. Sempre que receber uma “notícia”, mesmo quando transmitida por um amigo, pesquise para saber se é verdade ou não.
 
Para saber se a notícia é falsa ou verdadeira é simples!... Basta consultar os principais sites e portais de notícias. Eles contam com fontes seguras e sempre serão os primeiros a trazer as principais notícias. Além disso, se eles não publicaram a notícia, certamente, é porque ela é falsa.
 


Mudar de colunista:

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2018 - Todos os direitos reservados.