tv semana grupo semana
     

PUBLICIDADE

Colunista - Edilson
Lei de Murphy
Data publicação 02/10/2017
O Brasil não foi feito para dar certo!
 
Não adianta ficar torcendo para que “um dia” o Brasil se torne no país do tamanho de seu potencial natural. Pode ir tirando o seu cavalinho da chuva!... Isso nunca vai acontecer!
 
E não adianta me xingar!... E eu não vou apostar com você!... Por dois motivos!... Em primeiro lugar porque eu não gosto de apostas!... Em segundo lugar, não quero tomar seu dinheiro, pois isso seria um roubo!
 
Para você concordar com minha opinião, aliás, com a conclusão que cheguei, após analisar os fatos históricos, vou apresentar alguns pontos suficientes a confirmar que o Brasil foi feito para não dar certo.
Já começa pelo descobrimento!... Com tantos países europeus de alto nível, acabamos sendo colonizados pelo país mais atrasado entre aqueles que constituíram colônias: Portugal.
 
Para piorar, ainda quando éramos “Terra de Santa Cruz”, os portugueses plantaram aqui a semente da corrupção, ao trazer para cá, como autoridades, os ladrões de lá. O que se esperar de um país cujos alicerces foram formados de ladrões?... Não satisfeitos, ainda expulsaram daqui os franceses e holandeses, matando no ninho a possibilidade de pelo menos em parte dar ao País a chance de ser um pouco melhor.
 
E a História do Brasil, a verdadeira e não a contada nas escolas, é recheada de episódios onde a classe dominante roubou aos menos favorecidos, constituindo suas riquezas retirando-as da miséria.
 
O que temos hoje é um país de dimensões continentais, com um clima maravilhoso, com enorme potencial para o desenvolvimento econômico e social, uma terra que, como disse Pero Vaz de Caminha, há 517 anos, “em se plantando tudo dá”, e ainda vemos pessoas morrendo de fome.
 
Para os menos informados, 45% da população, ou seja, 93,6 milhões de brasileiros não têm esgoto tratado ou não têm sequer a coleta do esgoto que produzem.
 
E se isso não bastasse, em um país tão rico como o Brasil, a distribuição de renda é tão canhestra que atualmente, segundo levantamento da Oxfam, ONG britânica, os seis homens mais ricos do Brasil possuem o mesmo patrimônio que os 100 milhões de brasileiros mais pobres. E essa diferença só tende a aumentar, nunca reduzir.
 
O que esperar de um país no qual as pessoas encarregadas de julgar os crimes de desvio de dinheiro público e enriquecimento ilícito são nomeados por aqueles que cometeram tais crimes?
 
O Brasil de hoje é o “País dos Absurdos”, onde o trabalhador não gosta de trabalhar; onde o estudante não gosta de estudar; onde o professor não sabe ensinar; onde a lei é imposta pelos bandidos; onde o legislador, encarregado de fazer as leis, é um analfabeto; onde os líderes religiosos são praticantes dos pecados que condenam e onde a Justiça é injusta!
 
Onde esperar um futuro melhor em um país de eleitores alienados!... Analfabetos políticos!... Que criticam o político corrupto, mas aceita vender o seu voto por migalhas, não percebendo ou não se importando em estar, com tal gesto, vendendo o futuro de seus próprios filhos e netos.
 
Há um ano das próximas eleições, quando serão eleitos deputados, senadores, governadores e o presidente da República, mais de 70% dos eleitores não sabem em quem pretendem votar. Para piorar, quem já sabe em quem votará, pretende ajudar a eleger os mesmos políticos que tanto prometeram e nada fizeram e estão entre os envolvidos nos escândalos de corrupção.
 
O Brasil, onde impera a Lei de Gerson, sempre será vítima da conclusão do engenheiro aeroespacial Edward Aloysius Murphy, em 1949, batizada como “Lei de Murphy”, segundo a qual “Qualquer coisa que possa ocorrer mal, ocorrerá mal, no pior momento possível”.
 
Não foi feito para dar certo!
 


Mudar de colunista:

FALE CONOSCO
grupoasemana@gmail.com
333322-1212
RUA JOAO DA SILVA ARAUJO, Nº 8 - SL304
CENTRO | CARATINGA-MG


Copyright JORNAL A SEMANA - © 2017 - Todos os direitos reservados.